domingo, 30 de setembro de 2012

30-09-12 | 02


Em um estado dormente percebo a dor que dilacera alma, não importa quantos sonhos se podem realizar, nem quantas riquezas encontrar... Cercado de amigos ou em um profundo isolamento.
Religiões e passos no escuro, santificar se ou se tornar o maior dos pecadores? Dar tudo que tenho, até mesmo o meu folego de vida, nada bastaria, nada preencheria o vazio... Como um buraco negro, nada pode saciar.
Por muito tempo busquei preencher a minha vida tentando sufocar esta cruel dor, nada, absolutamente nada além de uma singular percepção pode ameniza la...
Percebo que buscamos a dor, a guerra, o sofrimento, não por tolice mas por necessidade, alguns de nos precisam cair ao ponto de que gemendo e em plena escuridão vislumbrem o que outrora viram tantas vezes e se curem da ingratidão...
Reparem, pensamos que temos tempo, que vamos acordar amanhã e assim por diante, prontos para cegarmos perante os sinais e desgraçarmos tudo e todos novamente, pois amanhã ainda é tempo...
Planejamos, maquiamos os nossos rostos e erroneamente acreditamos que seremos melhores amanhã, ficariam surpresos todos que assim pensam se vissem que não existe um amanhã, tudo que existe é andar em círculos em dor e sofrimento, torturam se a si mesmos...
Aceitar o vazio, ele faz parte da singularidade que somos e que tudo 'é'...
Aceitar que não existe mudança, que nada que se possa imaginar pode mudar ou preencher...
Aceitar que a liberdade é um estado que somente é experimentado internamente, sem luta e em plena serenidade...
Aceitar que todo o nosso desejo é fruto de uma imagem ficcional, essa fome insaciável do ego...
Na verdade não temos tempo, o mesmo somente é mais uma ilusão da mente assim como essa dor que nos dilacera infinitamente...
Abandone sua mente, sinta seus pensamentos mentirosos se fragmentando... Vislumbre uma pequena carruagem guiada pelo amor, incondicional.
Se torne sensível com o teu próximo, perceba que ele faz parte de você... Celebre a vida, aqui neste momento pois é tudo que tens, tudo que é real!

Rodrigo Taveira.

2 comentários:

Natália Oliveira disse...

Infelizmente temos a falsa impressão que temos todo o tempo do mundo...
Vamos celebrar a vida e o tempo que temos, o agora!

Muito bom o texto Rodrigo!

Claudia Morett disse...

Onde está acontecendo a vida?

Dentro,muito dentro.

È na mente que somos,criamos,destruimos e construimos.

Existimos internamente !

Bravo!Belo texto!