sábado, 6 de outubro de 2012

Madrugada


Insone a alma se encontra, em silencio a mente busca as respostas... O vinho percorre o corpo e encontra uma porta, o observador se surpreende: __ Não pode ser! Por quantas vezes o mesmo caminho ele percorreu e não havia nada ali.
O calor e o sentimento que o mesmo evoca, a porta se abre e o observador caminha ao encontro de tal estranha surpresa, ele se pergunta: __ O que será? 
Ele atravessa a porta e as luzes se acendem, um agradável cheiro o entorpece, uma doce voz mais a frente... Sua mente o questiona: __ Quem será?
De costas,  nua e com os seus longos cabelos de sombras, ocultam, revelam... Ele vê a Lua amarrada naqueles fios, a sua transpiração, cada gota sobre sua pele se revela como um infinito céu estrelado!
O observador a contempla mas ao mesmo tempo a teme, ele sente que ela pode acordar o lobo, o xamã, a inspirar aquele que corre ofegante por entre as colinas...
Ele se sente perdido, confuso... Temeroso pelo seu coração, pela sua alma... O medo tenta tomar o controle mas ele esta atento porem imóvel, ele não consegue se mexer, esta em transe! Sua mente transborda, sua intuição se afiando com seus instintos... Ele se aproxima, lentamente, aquela vibração. Ele já sentiu antes, mas recusou que pudesse ser verdadeira... Novamente ele há encontra, após a tempestade!
O cheiro dela o faz tremer... Seu corpo se contrai, ele deseja correr, sem rumo, para bem longe...
Aqui e agora ele se repele, até mesmo a escrever... Por quanto tempo? Ela o constrange, mas ele deixa de relutar e a face dela ele quer ver... Com os olhos fechados ele a toca e sente uma corrente de energia atravessando o seu corpo, milhões de sentimentos em apenas um segundo, então ela se vira!
Ele sabe quem ela é... Sua realidade se desconstrói, sua mente lhe diz: __ Confuso!
Ele se afasta e pergunta: __ O que sabemos daquilo que sabemos? Quando sentimos o que é verdade e ignoramos?
Além do caos que minha alma se encontra, mais quebrado não fui em outra vida, pois bem e agora?
A Lua no céu esta vazia e de algo me recordo, que é bem nessas horas, nesse instante que é  agora que alguns segredos tendem a se revelar...


Rodrigo Taveira.

2 comentários:

Claudia Morett disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Claudia Morett disse...

Sem palavras!

Logo que as domino,repentinamente perdi-as.

É fantástico!Parabéns!